Etiquetas

, , , , , , , , , , ,

Horse FeathersSinopse:

Quando o professor Wagstaff (Groucho Marx) toma posse como reitor da Universidade de Huxley, tem duas prioridades, ganhar um jogo de futebol a Darwin, e que o seu filho Frank (Zeppo Marx) vá às aulas e deixe de andar com Connie (Thelma Todd). Aconselhado a comprar dois jogadores profissionais num speakeasy, Wagstaff contrata, por engano, dois empregados, o distribuidor de gelo Baravelli (Chico Marx) e o apanhador de cães vadios, Pinky (Harpo Marx). Como se não bastasse, Connie está em conluio com Jennings (David Landau), que tentará por todos os modos ilícitos ganhar o jogo a Huxley.

Análise:

Continuando no caminho da fama, os quatro Marx filmavam em 1932 “Os Irmãos Marx na Universidade”, o quarto filme em anos consecutivos, partindo da sua habitual equipa de argumentistas, e o segundo realizado por Norman Z. McLeod, que muito boa conta do recado dera no anterior “A Culpa Foi do Macaco” (Monkey Business, 1931). Tal como no filme de 1931, McLeod consegue uma realização dinâmica com um bom aproveitamento do espaço, que permite aos Marx um humor físico mais versátil, ao contrário do que acontecera nos dois primeiros filmes, muito marcados pela lógica de palco. McLeod arrisca mesmo a filmar os Marx em cenários naturais no campus da Universidade em Los Angeles.

“Os Irmãos Marx na Universidade” é ainda um filme que vive de material antigo (a peça “Fun in Hi Skule”), experimentado no palco pelos irmãos. Novamente intercalado por alguns momentos musicais (onde não falta o piano de Chico e a harpa de Harpo), o filme tem menos canções que os anteriores, e aqui já mais bem integradas na narrativa. Se tal não é o caso da canção de Groucho “I’m Against It”, destaca-se por exemplo “Everyone Says I Love You” (de Harry Ruby e Bert Kalmar), cantada em momentos diferentes por cada um dos Marx, com letras a condizer com a situação e personagem, para bom efeito cómico. Este tema musical inspiraria Woody Allen para o seu filme “Toda a Gente Diz Que Te Amo” (Everyone Says I Love You, 1996), o qual inclui uma explícita homenagem a Groucho Marx, e no qual Allen também inclui Cuma canção cantada por vários personagens em contextos diferentes.

A história de “Os Irmãos Marx na Universidade” é, mais uma vez, secundária, e parecida com as restantes. O enredo inclui sempre vilões (neste caso o par Connie e Jennings, Thelma Todd e David Landau respectivamente) que tentam fazer alguma trapaça, tropeçando no personagem de Groucho Marx que, sem saber bem como, se vê sempre secundado por Chico e Harpo, cuja ajuda é mais uma desvantagem que uma vantagem. Desta vez Zeppo tem um papel de maior relevância, como filho de Groucho (de quem era 11 anos mais novo), e namorado de Connie (a chamada “college widow”, termo dado a mulheres mais velhas que procuravam marido nas universidades) cantando mesmo algumas canções.

Thelma Todd é, pela segunda vez, a sexy mulher fatal e vítima de Groucho, e desde suportá-lo ao colo, ou ver-se atirada por ele de um barco ao lago, passa por um pouco de tudo. A sequência em que os quatro Marx entram e saem do seu apartamento, cortejando-a, escondendo-se uns dos outros e voltando pelas razões mais absurdas, é uma das mais memoráveis do filme.

O filme brilha pela anarquia e surrealismo, pelos equívocos criados, pelas réplicas desconcertantes de Groucho (neste filme Groucho quebra a quarta parede e fala directamente para o público), e sobretudo pela cumplicidade entre Chico e Harpo, aqui no seu melhor e mais surreal. A propensão de Chico para erros fonéticos baseados num sotaque falso, e a de Harpo para confundir objectos (que chega a puxar de um porco – pig, quando Chico lhe pede uma picareta – pick) aliam-se às soluções do par para resolver problemas, num caos permanente e inenarrável. O filme termina em mais um final apoteótico (característica dos filmes dos Marx), com uma enorme sequência num jogo de futebol americano, onde Chico e Harpo exploram o espaço como seria impossível em palco, para um enorme número de gags burlescos.

“Os Irmãos Marx na Universidade” só existe hoje numa versão incompleta, pois cerca de cinco minutos retirados pela censura nunca mais foram encontrados.

Produção:

Título original: Horse Feathers; Produção: Paramount Pictures; Produtor Executivo: Adolph Zukor; País: EUA; Ano: 1932; Duração: 66 minutos; Distribuição: Paramount Pictures; Estreia: 19 de Agosto de 1932 (EUA).

Equipa técnica:

Realização: Norman Z. McLeod; Produção: Herman J. Mankiewicz [não creditado]; Argumento: Bert Kalmar, Harry Ruby, S.J. Perelman, Will B. Johnstone; Fotografia: Ray June [preto e branco]; Música: John Leipold [não creditado]; Canções: Bert Kalmar, Harry Ruby; Caracterização: Robert J. Schiffer [não creditado]; Coreografia: Harold Hecht [não creditado].

Elenco:

Groucho Marx (Professor Quincy Adams Wagstaff), Harpo Marx (Pinky), Chico Marx (Baravelli), Zeppo Marx (Frank Wagstaff), Thelma Todd (Connie Bailey), David Landau (Jennings), Reginald Barlow (Presidente Cessante) [não creditado], Robert Greig (Professor de Biologia) [não creditado], Nat Pendleton (MacHardie – Jogador de Darwin) [não creditado], James Pierce (Ed Mullen – Jogador de Darwin) [não creditado], Frank Rice (Porteiro no Speakeasy) [não creditado], Arthur Sheekman (Jornalista Desportivo) [não creditado], Phil Tead (Relator Desportivo) [não creditado].