Etiquetas

, ,

Robert Bresson

Novamente com atraso, termina agora o ciclo dedicado a Robert Bresson. Foi a oitava integral de A Janela Encantada, depois das dedicadas a Alfred Hitchcock, Woody Allen, Martin Scorsese, Ingmar Bergman, Federico Fellini, Rainer Werner Fassbinder e Andrei Tarkovsky.

Falecido em 1999, mas tendo parado de realizar em 1983, Robert Bresson deixou-nos apenas treze longas-metragens (todas aqui abordadas) e uma curta-metragem. Com a primeira realizada em plena Segunda Guerra Mundial, elas espalham-se por um período de quarenta anos, nos quais a forma de Bresson nos dar o seu cinema permaneceu sempre fiel às suas convicções. Estas passavam por aquilo a que o autor chamava uma pureza do cinema, o qual devia estar liberto de um dramatismo que manipulasse os sentimentos do espectador.

Por isso, os seus filmes são apelidados de minimalistas (a nível de enredo, cenário e interpretações), usando actores não profissionais que Bresson via como modelos que apenas recitavam textos sem os interpretarem. Preocupado sobretudo com a alma humana, e a relação do indivíduo com aquilo que o possa transcender, os filmes de Bresson lidam sempre com um certo ascetismo. Este acontece num ambiente contemporâneo (salvo algumas excepções), por vezes rural, noutras urbano, mas sempre imerso em quotidianos banais, desprovidos de qualquer grandiosidade. Os seus protagonistas são, por isso, pessoas comuns, sem nada que as distinga das demais, vivendo vidas insignificantes, nas quais têm uma necessidade de ascensão, libertação ou auto-descoberta, que serão o motivo da história.

Com um grande rigor formal, Bresson deixou-nos uma obra compacta, extremamente homogénea, desenvolvendo uma voz única, admirada pelos seus pares, mas que nunca ninguém conseguiu imitar.

Esperamos que esta viagem d’Janela tenha entusiasmado alguns leitores a descobrir Bresson. Fica, abaixo a lista dos filmes aqui analisados

• 1943: Les Anges du Péché (Os Anjos do Pecado)
• 1945: Les Dames du Bois de Boulogne (As Damas do Bosque de Bolonha)
• 1950: Journal d’un Curé de Campagne (Diário dum Pároco de Aldeia)
• 1956: Un Condamné à Mort s’est Échappé ou Le Vent Souffle où il Veut (Fugiu Um Condenado à Morte)
• 1959: Pickpocket (O Carteirista)
• 1962: Procès de Jeanne d’Arc (O Processo de Joana d’Arc)
• 1966: Au Hasard Balthazar (Peregrinação Exemplar)
• 1967: Mouchette (Amor e Morte)
• 1969: Une Femme Douce (Uma Mulher Meiga)
• 1971: Quatre Nuits d’un Rêveur (As Quatro Noites dum Sonhador)
• 1974: Lancelot of the Lake (Lancelote do Lago)
• 1977: Le Diable Probablement
• 1983: L’Argent (O Dinheiro)

Aconselha-se ainda o visionamento do documentário de 1984, The Road to Bresson, realizado por Leo De Boer e Jurriën Rood, e disponível no YouTube.