Etiquetas

, ,

Amy Winehouse em "Amy" (2015), de Asif Kapadia

Cinema e Música

por Rui Pinto

O cinema e a música sempre andaram juntos desde o início. Ainda antes do aparecimento dos filmes “sonoros” havia acompanhamento musical ao vivo para dar ênfase ao desenrolar do enredo. Não é de estranhar que o primeiro filme sonoro tivesse como tema a música (“O Cantor de Jazz”).

A interligação entre ambos é tão íntima e desenvolveu-se de tal forma que, hoje em dia, é quase impensável não ver a música como parte integrante do filme, muitas das vezes escapando à percepção do próprio espectador, mas servindo, tal como no início, para acompanhar o enredo e dando o tom das emoções do filme (quem não se lembra da música a acompanhar a cena do chuveiro do “Psico”, do tema do “Jaws” ou mesmo dos “Encontros imediatos do 3º grau”, “Star Wars” ou “Indiana Jones”).

Por vezes, contudo, a música salta para o plano principal do filme, sendo mesmo o protagonista principal ou, pelo menos, o elemento à volta de qual tudo gira. Esquecendo as escolhas óbvias dos musicais da época dourada de Hollywood, elaborei uma lista completamente aleatória (ou seja dos filmes que em primeiro lugar me vieram à memória, com a certeza de que me escaparam muitas escolhas óbvias) em que a música se chega à frente do palco.

Após a selecção dos títulos, uma forma de arrumação dos mesmos pareceu-me natural. Desta forma, em primeiro lugar, decidi agrupar os filmes (ou documentários) sobre músicos, dos quais constam:

• “À Procura de Sugar Man” (Searching for Sugar Man, 2012) – Malik Bendjelloul
• “A Dois Passos do Estrelato” (Twenty Feet from Stardom, 2013) – Morgan Neville
• “Amy” (2015) – Asif Kapadia
• “Elis” (2016) – Hugo Prata
• “Janis: Little Girl Blue” (2015) – Amy Berg
• “Cobain: Montage of Heck” (2015) – Brett Morgen

Don Cheadle em "Miles Ahead" (2015), de Don Cheadle

Em paralelo com os documentários, seleccionei alguns filmes ficcionados sobre músicos, em que, baseando-se nas vidas reais dos músicos ou nalguns factos, os papéis são interpretados por actores. Neste caso temos:

• “Amadeus” (1984) – Milos Forman
• “Bird – Fim do Sonho” (Bird, 1988) – Clint Eastwood
• “The Doors: O Mito de Uma Geração” (The Doors, 1991) – Oliver Stone
• “Farinelli” (1994) – Gérard Corbiau
• “CBGB” (2013) – Randall Miller
• “Get on Up” (2014) – Tate Taylor
• “Marguerite” (2015) – Xavier Giannoli
• “Miles Ahead” (2015) – Don Cheadle
• “Florence, Uma Diva Fora de Tom” (Florence Foster Jenkins, 2016) – Stephen Frears
• “Nina” (2016) – Cynthia Mort

Algures entre o documentário e o documentário ficcionado, é possível encontrar alguns exemplos de filmes que partem de alguns elementos reconhecidamente verídicos ou reais, para partir para uma história ficcionada, tais como:

• “Velvet Goldmine” (1998) – Todd Haynes
• “Música e Letra” (Music and Lyrics, 2007) – Marc Lawrence

O elenco de "Os Commitments" (The Commitments, 1991), de Alan Parker

Talvez os exemplos mais interessantes sejam as obras de ficção que se baseiam no mundo da música ou à volta dela. Alguns exemplos:

• “All That Jazz: O Espectáculo Vai Começar” (All That Jazz, 1979) – Bob Fosse
• “Os Dias da Rádio” (Radio Days, 1987) – Woody Allen
• “Os Fabulosos Irmãos Baker” (The Fabulous Baker Boys, 1989) – Steve Kloves
• “Os Commitments” (The Commitments, 1991) – Alan Parker
• “Os Virtuosos” (Brassed Off, 1996) – Mark Herman
• “Quase Famosos” (Almost Famous, 2000) – Cameron Crowe
• “O Concerto” (Le concert, 2009) – Radu Mihaileanu
• “A Família Bélier” (La famille Bélier, 2014) – Eric Lartigau
• “O Coro” (Boychoir, 2014) – François Girard
• “Whiplash – Nos Limites” (Whiplash, 2014) – Damien Chazelle
• “Música a Música” (Song to Song, 2017) – Terrence Malick
• “O Piano” (The Piano, 1993) – Jane Campion

Por último, uma menção a DVD musicais de grupos que, pela sua qualidade narrativa, são mais do que um simples DVD de música ou conjunto de vídeos promocionais das músicas ou grupos. São alguns exemplos de cristalização de um momento no tempo, o sentir de um músico ou grupo num determinado ponto, que ajudam a compreender melhor a realidade deles.

• “Shine a Light” (2008) – Martin Scorsese
• “Shut Up and Play the Hits – O Fim dos LCD Soundsystem” (Shut Up and Play the Hits, 2012) – Will Lovelace e Dylan Southern
• “20.000 Dias na Terra” (20,000 Days on Earth, 2014) – Iain Forsyth e Jane Pollard
• “Pulp: Um Filme Sobre a Vida, a Morte e Supermercados” (Pulp: A Film About Life, Death and Supermarkets, 2014) – Florian Habicht
• “One More Time with Feeling” (2016) – Andrew Dominik

Nick Cave em "One More Time with Feeling" (2016), de Andrew Dominik