Etiquetas

,

ZOOM - Associação Cultural

Apresentação

Nome: ZOOM – Cineclube de Barcelos
Localização: Avenida João Duarte, 405, 4750-175 Barcelos

Facebook: https://www.facebook.com/zoom.pt
Email: cinemazoomcinema@gmail.com

Teatro Gil Vicente, local das exibições do Cineclube de Barcelos

Entrevista

Entrevista a Isabel Clara Rodrigues Araújo, presidente da direção da ZOOM – Associação Cultural
Março de 2017

Há quanto tempo existe a ZOOM – Associação Cultural?
A associação cultural ZOOM, foi fundada em janeiro de 2005. Completou este ano 12 anos de existência.

Quantos sócios tem, e que quotas pagam?
A ZOOM tem por volta de 160 sócios, mas só 40 têm a quota em dia. O pagamento da quota divide-se por diferentes modalidades:
– Pagamento anual 25€
– Pagamento trimestral 15€
– Pagamento mensal 5€
– Gratuito para crianças até aos 10 anos
– Desconto para estudantes
– Sócios mecenas, pagamento anual de 250€

Quantas sessões organizam por mês?
No ano anterior realizamos um total de 48 sessões. Sendo que em Agosto não temos atividades. Em média realizamos 4 sessões por mês. Algumas sessões são articuladas com o plano nacional de cinema, exibindo filmes para os alunos das escolas do concelho que fazem parte desse plano.

Que critérios presidem à vossa programação, e que áreas se procuram cobrir?
É nossa forte preocupação a exibição mais alternativa, não comercial, valorizando o cinema de autor, com a exibição de filmes e de documentários premiados em festivais nacionais e internacionais. Procuramos cobrir todas as áreas e sentimentos que o cinema independente consegue transmitir. Sabemos que hoje em dia, é mais evidente a procura de bom cinema, destacando todas as mais valias que este consegue garantir. Contudo, exibimos também ciclos de cinema temáticos em articulação com algumas datas importantes e com instituições do nosso concelho.

No geral, a nossa preocupação é exibir cinema nacional e internacional o mais recente possível, no entanto, também nos parece importante engrandecer alguns nomes do cinema mais remoto e é isso que fazemos nos ciclos de cinema, nas conversas com realizadores e nalguns workshops com alunos de escolas.

Como é a adesão da população em geral?
Estando o cineclube situado num concelho com algumas carências culturais, torna-se difícil chegarmos a um número conceituado de público. No entanto, como articulamos as nossas sessões com diversificados públicos, escolas, universidade sénior, entre outros, estas têm uma maior adesão. Também notamos que por vezes a realização de ciclos de cinema é uma mais valia para angariar novos públicos.

Que outras actividades e iniciativas da ZOOM gostaria de destacar?
Nos anos anteriores a 2013, a ZOOM sempre desenvolveu muitos projetos relacionados com diferentes áreas, desde o cinema até à música, passando pela fotografia, artes plásticas, literatura, entre outras.

De Dezembro de 2013 a Outubro de 2015, alugamos um espaço a que chamamos CASAZUL, que nos permitiu desenvolver mais regularmente essas atividades, com autonomia de tempo e de espaço. Este espaço, a CASAZUL, acolheu e promoveu o desenvolvimento e exposição do trabalho de artistas locais, apoiando a divulgação das suas obras e recebeu igualmente artistas nacionais e internacionais, sempre em colaboração com outras instituições e entidades.

Com que apoios contam a nível local, e que outros gostariam de ter?
A ZOOM conta com o apoio total da Câmara Municipal de Barcelos. Parcialmente, contamos com a ajuda de apoios do Estado, nomeadamente o ICA. Os nossos sócios asseguram, uma parte muito pequena, que não cobre todas as atividades que realizamos, por isso também realizamos outras iniciativas com o objetivo de angariar fundos.

Estão satisfeitos com as instalações, e material técnico ou pensam que poderiam ter melhores condições?
A ZOOM possuía um espaço próprio, a CASAZUL, que vimos ser encerrada em Outubro de 2015, mas mesmo assim conseguimos que a nossa programação não parasse. No entanto, queremos continuar a crescer e não queremos parar na realização de atividades que se limitem só ao cinema. A procura de um novo espaço é persistente, mas difícil. Neste momento contamos com o trabalho em parceria com a Câmara Municipal de Barcelos e o Theatro Gil Vicente. Contudo, vamos continuar a lutar para alcançar esse objetivo, porque sabemos que Barcelos precisa de uma associação como a nossa para uma alternativa cultural.

Qual a facilidade ou dificuldade com que obtêm os filmes desejados?
Não tem sido difícil a obtenção dos filmes que exibimos. No entanto, alguns mais recentes, premiados ou de festivais são de difícil acesso e por vezes muito dispendiosos. Já temos contactos com algumas distribuidoras e recorremos à internet para pesquisar aqueles mais difíceis de encontrar. Nem sempre esta tarefa é fácil porque há muitos filmes que pertencem a distribuidores maiores, como por exemplo, a NOS, e que não facilita a distribuição de determinado filme aos cineclubes.

Em que formatos os projectam, e que proveniências têm?
Os filmes projetados pela ZOOM são regularmente em formato DVD, sendo que também apresentamos em Bluray e ficheiro digital, não DCP. Este projetor é extremamente caro e a sala de exibição não o tem. Estamos a pensar exibir alguns filmes em película, o único problema é termos projecionista capaz de o fazer.

A origem dos filmes são as respetivas distribuidoras.

Finalmente, na era da internet, qual a importância que vêem actualmente na existência dos cineclubes?
Claro que com a chegada da internet, todo o panorama cinematográfico levou um abalo, no entanto, hoje em dia penso que tudo se começa a compor. Na minha opinião, os cineclubes sobrevivem de amantes de cinema. Gente que gosta mesmo de bom cinema, de sentir o filme com um grupo de pessoas que sabem aquilo que estão a ver e que sentem de um modo diferente o que é ver um bom filme. Mesmo quando se trata de documentários e filmes de animação, o nosso público adere ao cineclube. A internet não consegue se sobrepor estes sentimentos.

Casazul, anterior projecto de colaboração da ZOOM

A Janela Encantada agradece a colaboração de Isabel Araújo, e da ZOOM – Associação Cultural, recomendando a quem puder que participe nas suas sessões, e apoie os cineclubes locais.

Anúncios