Etiquetas

, , , , , , , , , ,

The Nutty ProfessorO desajeitado professor universitário Julius Kelp (Jerry Lewis) está constantemente em sarilhos, tanto pelas suas experiências químicas, sem noção dos perigos que traz à universidade, como por ser vítima das partidas dos seus alunos. Desejando ser física e socialmente mais capaz, Kelp vai desenvolver uma fórmula química, que o transforma no elegante e magnetizante Buddy Love (também Lewis). Conquistando imediatamente a atenção da aluna Stella Purdy (Stella Stevens), Love vai, no entanto, conseguir que o seu carácter arrogante e egoísta a faça desejar que ele se pareça mais com Kelp.

Análise:

Como sexto filme da sua série de obras produzidas para a Paramount, a partir da Jerry Lewis Pictures, Lewis trouxe-nos a sua versão do conto clássico de Robert Louis Stevenson “Strange Case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde”, conhecido em Portugal como “O Médico e o Monstro”. Foi mais um filme realizado por si, a partir de um argumento escrito a meias com Bill Richmond, e tendo como produtor o seu habitual associado, Ernest D. Glucksman.

Nesta sua abordagem da história da dupla personalidade exacerbada pela ingestão de uma fórmula química, temos as desaventuras do professor Julius Kelp (Jerry Lewis), um brilhante professor universitário, mas cuja inadequação para relações sociais, e excêntrico aspecto físico, o colocam como vítima das piadas dos alunos, deixando o seu superior, o Dr. Warfield (Del Moore), constantemente à beira de um ataque de nervos. Cansado de ser alvo de chacota, Kelp desenvolve uma fórmula química que o transforme em alguém fisicamente mais apto, e essa transformação é literal, resultando no elegante, confiante e centro das atenções Buddy Love (também Jerry Lewis). Em comum, os dois lados da personalidade têm o interesse por Stella Purdy (Stella Stevens), uma lindíssima estudante de Kelp, que simpatiza com ele. Embora fascinada pela personalidade magnética de Buddy Love, Stella cedo se cansa do seu egocentrismo, mas tudo se resolve quando a fórmula definha, e Love se transforma em Kelp em frente de todos.

Centrando, como era hábito, o filme em torno da sua interpretação, Lewis consegue desta vez o feito de criar dois personagens distintos da sua imagem de marca. Para traz ficava o trapalhão voluntarioso e bem-intencionado, com expressões faciais que dominavam (até ao exagero) cada reacção de espanto. Essa imagem era substituída, não por uma nova persona, mas sim por duas. E se, por um lado, o desajeitado Kelp é reminiscente do mais padronizado Lewis (embora sejam distintos, com Kelp a ser conscientemente inepto, e a conseguir basear o seu humor físico na inacção e contemplação controlada), já Love é um personagem completamente distinto. Arrogante, egocêntrico, e manipulador, diz-se que Buddy Love é uma sátira à verdadeira personalidade de Dean Martin, o antigo parceiro de Jerry Lewis.

Assim, usando a ideia base de Stevenson, Lewis transforma-se de um inapto social, numa espécie de sociopata, que todos passam a admirar, embora seja muito mais detestável. É isso que descobre a personagem de Stella Stevens (que aqui parece quase um clone de Marilyn Monroe, talvez com maior ternura, mas sem a graciosidade ou sensualidade daquela diva) que, mantendo os pés na terra, vai adivinhando que tem de haver mais por trás da aparência física, chegando à conclusão que é o intelecto de Kelp que lhe interessa.

Nesse sentido, o filme é quase um conto moral, mas cuja mensagem é irrelevante, face ao humor Lewis. E ele é aqui mais visual que nunca, mesmo que servido por bons diálogos, trocadilhos apurados, e uma vontade de estabelecer uma ponte para uma geração mais jovem (que no entanto parece ser mais a dos anos 50 – a da juventude Lewis – que a dos anos 60), que vai a cabarés, ouve música jazz, usa o verbo «gas» e adjectivo «gasser» como imagens de marca, inspirados pela linguagem de Sinatra (que aliás Lewis tenta imitar nos números musicais) e pose do chamado Rat Pack.

Mas o que distingue “As Noites Loucas do Dr. Jerryll”, para além do aspecto físico risível de Kelp, são os gags cómicos. Desde o modo como se enterra no sofá do Dr. Warfield, até aos acidentes no ginásio, ou ao modo desastroso como acaba com o braço dentro do ponche, há toda uma temporização perfeita em Lewis, que sabe provocar a gargalhada, com momentos originais, e que nunca dão a ideia de serem estendidos em demasia. É isso que coloca “As Noites Loucas do Dr. Jerryll” como um dos melhores filmes do comediante, pleno de imaginação, irreverência e humor surreal.

O filme de Lewis originou o remake intitulado “O Professor Chanfrado” (The Nutty Professor, 1996), realizado por Tom Shadyac, e protagonizado por Eddie Murphy e Jada Pinkett-Smith, e também o filme de animação “The Nutty Professor” (2008), de Logan McPherson e Paul Taylor, com Lewis repetindo os mesmos dois papéis.

Jerry Lewis em "As Noites Loucas do Dr. Jerryll" (The Nutty Professor, 1963) realizado pelo próprio

Produção:

Título original: The Nutty Professor; Produção: Paramount Pictures / Jerry Lewis Enterprises; País: EUA; Ano: 1963; Duração: 107 minutos; Distribuição: Paramount Pictures; Estreia: 4 de Junho de 1963 (EUA), 31 de Janeiro de 1964 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Jerry Lewis; Produção: Ernest D. Glucksman; Produtor Associado: Arthur P. Schmidt; Argumento: Jerry Lewis, Bill Richmond; Música: Walter Scharf; Fotografia: W. Wallace Kelley [cor por Technicolor]; Montagem: John Woodcock; Direcção Artística: Hal Pereira, Walter H. Tyler; Cenários: Sam Comer, Robert R. Benton; Figurinos: Edith Head; Caracterização: Wally Westmore; Efeitos Especiais: Paul K. Lerpae; Direcção de Produção: William Davidson.

Elenco:

Jerry Lewis (Professor Julius Kelp / Buddy Love), Stella Stevens (Stella Purdy), Del Moore (Dr. Mortimer S. Warfield), Kathleen Freeman (Millie Lemmon), Med Flory (Warzewski – Jogador de Futebol), Norman Alden (Jogador de Futebol / Estudante), Howard Morris (Mr. Elmer Kelp), Elvia Allman (Edwina Kelp), Milton Frome (Dr. M. Sheppard Leevee), Buddy Lester (Barman), Marvin Kaplan (Estudante Inglês), David Landfield (Estudante), Skip Ward (Jogador de Futebol), Julie Parrish (Estudante), Henry Gibson (Gibson, Estudante).

Anúncios