Etiquetas

, , , , , ,

Dong (The Hole)Em Taiwan, num futuro próximo, a poucos dias do final do milénio, grassa uma estranha doença que leva autoridades a decretar a evacuação. Alheios a isso, muitos cidadãos prosseguem as suas vidas. Entre eles, um vendedor numa loja de comida (Lee Kang-sheng), que vê o seu canalizador esburacar o seu apartamento para o de baixo. Neste vive uma mulher (Yang Kuei-Mei), que fica irritada com o acontecimento. Mas impávidos, os dois passam a ver o buraco como um doentio motivo de curiosidade, sem que ainda assim consigam ter uma conversa ou qualquer tipo de interacção.

Análise:

Consagrado internacionalmente já desde os anos 1990, após a sua vitória em Veneza, com o filme “Vive L’Amour” (Ai qing wan sui, 1994), o malaio Tsai Ming-Liang, há muitos anos a trabalhar em Taiwan, construiu, com “The Hole” uma estranha distopia, que lida com algumas das suas referências estéticas e formas narrativas, que é como dizer, com o explanar de fobias em ambientes perturbantes.

“The Hole” fala-nos de uma estranha doença, da qual vemos os sintomas como comportamentos estranhos, e recebemos informações através da rádio. Acontece em Taiwan, onde algumas pessoas, após estados febris e sintomas de confusão, começam a desenvolver hábitos de insectos como baratas, e a esconderem-se da luz em buracos. Enquanto as autoridades vão aconselhando evacuações de partes da cidade, os habitantes de um bairro periférico vão ficando. Um deles é um vendedor numa loja de comida (Lee Kang-sheng) que, preocupado com ruídos nos canos no seu apartamento, chama um canalizador, que acaba por esburacar o seu apartamento para o de baixo. Neste vive uma mulher (Yang Kuei-Mei), que fica irritada com o acontecimento. Mas perante toda a realidade perturbadora que se vive fora, os dois habituam-se ao buraco, curiosos com o que podem ver através dele.

Neste ambiente surreal, feito de muitos ruídos metálicos e urbanos, uma constante humidade, sob uma tempestade permanente, e água que pinga de tubos e se acumula pelos cantos, movem-se os personagens. Tal como todo o ambiente, estes são também um pouco surreais, movendo-se apaticamente pelas suas vidas, como que aceitando com naturalidade toda a anormalidade, como a de terem um buraco que une os seus apartamentos. Este é motivo de suspeita, de curiosidade, metáfora sexual (com o homem a usá-lo e a alargá-lo para inexplicavelmente satisfazer o desejo nele introduzir uma perna) e, por fim, motivo para reunir os personagens quando um deles cai doente.

Esta forma espartana de mostrar os acontecimentos é depois interrompida com canções pop em mandarim (de musicais de Hong Kong dos anos 1950), cantadas para a câmara com entusiasmo e uma maior explosão de cor, como se passássemos a estar num musical, e que são vistas como sublinhados de desejos e emoções reprimidos nos personagens.

Metáfora de sexualidade e desconforto com o corpo, ensaio sobre solidão e incapacidade de comunicação, ou um conto de inadaptação à sociedade que nos rodeia, “The Hole” é um pouco de tudo isso, e mais ainda, numa história provocante, contada quase sem palavras, em longos planos, muitas vezes fixos.

O filme venceu o prémio FIPRESCI da imprensa do Festival de Cannes.

Lee Kang-sheng em "The Hole" (Dong, 1998) de Tsai Ming-liang

Produção:

Título original: Dong; Produção: Haut et Court / Arc Light Films / China Television (CTV) / Central Motion Pictures Corporation / La Sept-Arte; Produtores Executivos: Su-ming Cheng, Shun-Ching Chiu, Pierre Chevalier; País: Taiwan / França; Ano: 1998; Duração: 89 minutos; Distribuição: Haut et Court (França); Estreia: 16 de Maio de 1998 (Cannes Film Festival, França), 24 de Março de 1999 (França).

Equipa técnica:

Realização: Tsai Ming-Liang; Produção: Chiao Peggy; Produtores Associados: Simone Arnal-Szlovaki, Feng-Chyt Jiang; Argumento: Tsai Ming-Liang, Yang Pi-ying; Canções: Yao Ming, Chen Die Yi; Fotografia: Liao Pen-Jung; Montagem: Hsiao Ju-kuan; Design de Produção: Lee Pao-Lin; Figurinos: Vivian Ming Chou; Coreografia: Joy Lo; Direcção de Produção: Wang Shih-Fang.

Elenco:

Yang Kuei-Mei (Mulher do Andar de Baixo), Lee Kang-sheng (Homem do Andar de Cima), Tong Hsiang-Chu (Canalizador), Lin Hui-Chin (Vizinho), Lin Kun-huei (Rapaz), Miao Tien (Cliente), Jacques Picoux (Voz), Grace Chang (Cantora).

Anúncios