Etiquetas

, , , , , , , , , , ,

Monty Python's the Meaning of LifeDe volta ao formato de sketches, os Monty Python (Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones, Michael Palin) apresentam uma história solta, com um tema de fundo: “o sentido da vida”. Esta divide-se em sete partes: “O milagre do nascimento”; “Crescimento e aprendizagem”; “Encontrando-se um ao outro”; “A idade média”; “Transplante de órgãos de pacientes vivos”; “Os anos do Outono”; “Morte”. Há ainda espaço para algumas ligações como “O meio do filme”, e “O fim do filme”, e o momento surreal “Procura o Peixe”. O filme propriamente dito é antecedido pela curta-metragem “The Crimson Permanent Assurance”, na qual velhos empregados do mundo da finança tomam de assalto o seu escritório, fazendo o seu velho prédio navegar nas águas das finanças internacionais, assaltando as grandes corporações.

Análise:

Após o sucesso de “A Vida de Brian” (Monty Python’s Life of Brian, 1979), os Monty Python voltaram a juntar-se em 1980, para o espectáculo no Hollywood Bowl em Los Angeles, que ficaria também ele registado em filme. Pouco depois Terry Gilliam realizaria o seu segundo filme, “Os Ladrões do Tempo” (Time Bandits, 1981), uma fantasia infantil de ficção científica, e o qual incluía participações de John Cleese e Michael Palin.

Em conjunto, os Python preparavam o seu filme seguinte. Embora as ideias fluíssem e, segundo os próprios, nunca nos filmes anteriores tinham tido tantas, elas não concorriam para uma história, e tal deixava-os frustrados, sem um fio para a meada que iam tecendo. Finalmente tomou-se a decisão, voltariam à forma de sketches independentes, ligados de uma forma muito solta por um tema central: o sentido da vida.

Mais uma vez a realização foi entregue a Terry Jones, mas Terry Gilliam depois dos seus dois filmes em nome próprio, tinha-se desinteressado da animação, e foi decidido que realizaria um sketch para o filme. Este (The Crimson Permanent Assurance) ganhou vida própria, crescendo tanto que passou a ser apresentado como filme independente, mostrado como introdução ao filme principal, e sendo quase tão dispendioso como ele. Nele vemos um grupo de escriturários idosos que se rebela contra a administração da empresa, tornando o seu velho edifício uma espécie de navio pirata que avança pelos mares da finança e toma a saque os grandes e modernos edifícios financeiros.

O orçamento era, aliás, uma das maiores novidades dos Python, aqui generoso, e por isso permitindo-lhes sketches com números musicais e coreografias elaboradas, e muitos figurantes. Os seis Python (com Gilliam de filme para filme a assumir partes mais alargadas) continuavam a ser os protagonistas, interpretando inúmeros papéis, num filme que continha algum do seu material mais negro e surreal.

Diriam os Python mais tarde que o seu objectivo com “O Sentido da Vida” era ofender tudo e todos. Para isso fariam o mais difícil dos seus filmes. Começando pelo nascimento, o filme mostrava um parto de um modo grosseiro (onde mirones surgiam como puros voyeurs), e uma sátira à máxima católica de que o sexo deveria ser praticado apenas para procriação (no genial “Every Sperm Is Sacred”). A vida militar e a educação eram de seguida ridicularizadas (esta com uma aula de sexo ao vivo). Não faltava o transplante de órgãos, numa cena sangrenta de vísceras a serem arrancadas a sangue frio de um corpo ainda vivo. Seguia-se um dos mais nojentos sketches do cinema, com o incrivelmente obeso Mr Creosote (Terry Jones), a comer até rebentar (literalmente) depois de vomitar em cima de todos. Por fim a morte faz a sua aparição, levando os seus “convidados” para uma espécie de musical de Las Vegas, onde se canta “Christmas in Heaven”. Pelo meio ficam ainda alguns pedaços de puro surrealismo, como o inenarrável sketch “Find the fish”, e a sequência animada em que folhas de árvore se suicidam.

Com algumas das suas sequências mais inesquecíveis (“Every Sperm Is Sacred”, a máquina que faz ping, ou a sentença de morte por perseguição de mulheres em topless), e muito do seu material mais negro, os Python mostravam ser fiéis a si próprios, voltando a quebrar regras, e procurando (e encontrando) humor onde antes ninguém o vira.

“O Sentido da Vida” voltou a ser um sucesso para o grupo. Apesar de algumas críticas negativas (que lhe voltariam a valer a censura nalguns países) foi um sucesso de bilheteira, e receberia mesmo o Grande Prémio do Júri do Festival de Cannes.

Produção:

Título original: Monty Python’s The Meaning of Life; Produção: Celandine Films / The Monty Python Partnership / Universal Pictures; País: Reino Unido; Ano: 1983; Duração: 143 minutos; Distribuição: Universal Pictures; Estreia: 31 de Março de 1983 (EUA), 24 de Maio de 1984 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Terry Jones, Terry Gilliam [Animação e “The Crimson Permanent Assurance”]; Produção: John Goldstone; Argumento: Graham Chapman, John Cleese, Terry Gilliam, Eric Idle, Terry Jones, Michael Palin; Música: John Du Prez; Fotografia: Peter Hannan, Roger Pratt [em “The Crimson Permanent Assurance”] [cor por Technicolor]; Montagem: Julian Doyle; Design de Produção: Harry Lange; Direcção Artística: Richard Dawking, John Beard [em “The Crimson Permanent Assurance”]; Cenários: Simon Wakefield, Sharon Cartwright; Figurinos: James Acheson; Caracterização: Maggie Weston, Elaine Carew [em “The Crimson Permanent Assurance”]; Efeitos Especiais: George Gibbs; Coreografia: Arlene Phillips; Direcção de Produção: David Wimbury.

Elenco:

Graham Chapman (Presidente / Peixe #1 / Médico / Harry Blackitt / Wymer / Hordern / General / Coles / Narrador #2 / Dr. Livingstone / Trasvesti / Eric / Convidado #1 / Arthur Jarrett / Geoffrey / Tony Bennett), John Cleese (Peixe #2 / Dr. Spencer / Humphrey Williams / Sturridge / Ainsworth / Criado do Restaurante / Assistente de Eric / Maître D’ / Morte), Terry Gilliam (Lavador de Janelas / Peixe #4 / Walters / Introdutor do Meio do Filme / M’Lady Joeline / Mr. Brown / Howard Katzenberg), Eric Idle (Gunther / Peixe #3 / Cantor de ‘Meaning of Life’ / Mr. Moore / Mrs. Blackitt / Watson / Blackitt / Atkinson / Perkins / Vítima #3 / Parte da Frente do Tigre / Mrs. Hendy / Homem de Cor-de-rosa / Noël Coward / Gaston / Angela), Terry Jones (Bert / Peixe #6 / Mãe / Padre / Biggs / Sargento / Homem de Braços Longos / Mrs. Brown / Mr. Creosote / Maria / Folha / Fiona Portland-Smythe), Michael Palin (Lavador de Janelas / Harry / Peixe #5 / Mr. Pycroft / Pai / Narrador #1 / Capelão / Carter / Spadger / Sargento-Major na Recruta / Pakenham-Walsh / Parte de Trás do Tigre / Apresentadora de TV / Mr. Marvin Hendy / Governador / Folha Filho / Debbie Katzenberg), Carol Cleveland (Empregada Beefeater / Esposa do Convidado #1 / Folha Mãe / Folha Filha / Receptionista no Céu), Simon Jones (Chadwick / Jeremy Portland-Smythe), Patricia Quinn (Mrs. Williams), Judy Loe (Enfermeira #1), Andrew MacLachlan (Noivo / Wycliff / Vítima #1 / Convidado #3), Mark Holmes (Victim #2 / Criado Troll / Convidado #2), Valerie Whittington (Mrs. Moore), Jennifer Franks (Noiva), Imogen Bickford-Smith (Enfermeira #2), Angela Mann (Esposa do Convidado #2), Peter Lovstrom (Filho de Brown)
The Crimson Permanent Assurance:
Sydney Arnold, Guy Bertrand, Andrew Bicknell, Ross Davidson, Myrtle Devenish, Tim Douglas, Eric Francis, Matt Frewer, Billy John, Russell Kilmister, Peter Mantle, Len Marten, Peter Merrill, Cameron Miller, Gareth Milne, Larry Noble, Paddy Ryan, Leslie Sarony, John Scott Martin, Eric Stovell, Wally Thomas.