Etiquetas

, , , , , , , , , , , ,

The Muppets Christmas CarolO famoso conto de Natal de Charles Dickens é aqui reinterpretado pelos Marretas, numa versão animada e musicada. Ebenezer Scrooge (Michael Caine), um homem avarento que odeia o Natal e qualquer relação humana que não conduza a lucro. Por isso maltrata e despreza os que lhe estão mais próximos, como o empregado Bob Cratchit (Cocas o sapo) e o sobrinho Fred (Steven Mackintosh). Só que, na noite de Natal, os fantasmas dos seus antigos sócios Jacob e Robert Marley (Statler e Waldorf) visitam-no, anunciando a visita de três espíritos que o levarão em viagem pelo seu passado, presente e futuro, e lhe mostrarão onde perdeu o seu coração e bondade, aquilo que o Natal representa para aqueles que o rodeiam, o o perigo que o espera se não mudar de caminho.

Análise:

Quando Jim Henson, em 1955, criou os fantoches que fariam o sketch “Sam and Friends”, ninguém adivinharia que estava a nascer um dos maiores fenómenos de popularidade no campo do entretenimento audiovisual norte-americano. Cedo os bonecos de Jim Henson, conhecidos como Muppets (ou Marretas), começaram a ser requisitados para aparecer noutros programas de televisão, autonomizando-se com o seu espaço na didática “Rua Sésamo” (Sesame Street). Seguiu-se o popularíssimo “Os Marretas” (The Muppet Show), que decorreu entre 1976 e 1981, e chegou a todo o mundo, encabeçado por Kermit the Frog (Cocas, o Sapo – que ficou para Henson como Mickey Mouse para a Disney). Daí ao cinema foi um salto, e a companhia de Jim Henson produziu três filmes de sucesso moderado.

Com a morte de Jim Henson, em 1990, a Jim Henson Productions continuou a explorar o universo do criador dos Marretas, e surgiriam mais três filmes (e outra série de televisão), antes da compra da companhia pela Walt Disney.

O primeiro destes filmes pós-Jim Henson foi “O Conto de Natal dos Marretas”, em que a produtora se colou ao famoso conto de Charles Dickens, para o contar na sua forma peculiarmente divertida e corrosiva, fazendo uso da interacção de fantoches com seres de carne e osso.

Para o papel de Ebenezer Scrooge foi escolhido Michael Caine, no que confessaria ser uma das interpretações preferidas da sua carreira. Ao seu lado (como actores de carne e osso) estariam figuras do passado de Scrooge, como o próprio como mais novo, a amada Belle (Meredith Braun), o sobrinho Fred (Steven Mackintosh), e a esposa deste, Clara (Robin Weaver). Os restantes papéis seriam interpretados pelos bonecos de Henson, por vezes mantendo as suas personalidades habituais, numa realização de Brian Henson (filho de Jim), e produzida por Frank Oz, habitual colaborador de longa data de Jim Henson.

Como universalmente conhecido, Scrooge é um avarento que odeia tudo aquilo que não dê lucro, e despreza qualquer manifestação de afecto ou amizade como actos fúteis. Tal leva-o a irritar-se com o Natal e o espírito de boa vontade que todos contagia. Mas ao ser visitado, numa única noite, por três espíritos (Natal passado, Natal presente, e Natal ainda por vir) Scrooge vai rever a sua vida, ver quem são as pessoas que o rodeiam, e perceber o que o espera caso não mude de atitude. Isso fa-lo-á abrir o coração e deixar a alegria entrar, ao precocupar-se com os outros e entrar nas suas vidas.

Assim temos Cocas como Bob Scratchit, o empregado explorado mas fiel a Scrooge, a sua petulante esposa, Miss Piggy, e entre os seus filhos está o sapo Robin, como Tiny Tim. Statler e Waldorf (os famosos velhos rezingões) são os fantasmas dos Marleys (aqui dois, e não um como no conto de Dickens); Dr. Bunsen e Beaker (Proveta) são dois colectores de fundos para caridade; o urso Fozzie é Fozziewig, o primeiro patrão de Scrooge; e a águia Sam é o antigo Mestre Escola do velho avarento. Há ainda pequenos cameos de Animal, o Cozinheiro Sueco, alguns personagens dos Fraggles, etc.

Fora do conto, destacam-se o Grande Gonzo no papel do narrador, Charles Dickens (artifício de Brian Henson para incluir frases do texto original), e o seu seguidor Rizzo the Rat, num papel que consiste em todo o tipo de desventuras de efeito cómico, como que para aliviar o conto dos seus momentos mais dramáticos, numa infantilização que busca descaradamente apelar ao público mais jovem que quer apenas rir sem se importar com a história.

Apesar dessas cedências, “O Conto de Natal dos Marretas” é fidelíssimo ao conto original passando por todos os pontos-chave da história. A reconstituição da Londres vitoriana, mesmo que em versão fantoche é exemplar, como o são os efeitos especiais e o ritmo narrativo. Mesmo as várias canções que pontuam o filme são sempre a propósito, usando convenientemente o elenco Marreta, e adicionando as necessárias ênfases dramáticas.

Acima de tudo destaca-se Michael Caine, que sempre que os Marretas dão um minuto de descanso, toma conta do ecrã com uma interpretação notável. Frio sem ser caricatural, intenso sem se dar a excessos dramáticos, Caine exemplifica-nos o homem distante, aparentemente sem coração, mas capaz de soçobrar quando em presença dos estímulos (ou memórias) certos. A sua transformação é tão credível como contagiante, tornando-o um dos melhores Scrooges que o grande ecrã já nos deu a conhecer.

Brian Henson e a sua equipa conseguem em “O Conto de Natal dos Marretas” um filme cativante, divertido, que ao mesmo tempo homenageia o universo dos Marretas e a história imortal de Dickens. Não conseguiu no entanto penetrar fora dos fãs dos Marretas, os quais talvez preferissem algo mais caoticamente cómico. O filme seria dedicado a Jim Henson e ao seu colaborador (também já desaparecido) Richard Hunt, e foi um sucesso bastante moderado.

Produção:

Título original: The Muppets Christmas Carol; Produção: Walt Disney Pictures / Jim Henson Productions; Produtor Executivo: Frank Oz; País: EUA; Ano: 1992; Duração: 82 minutos; Distribuição: Buena Vista Pictures; Estreia: 11 de Dezembro de 1992 (EUA, Austrália), 10 de Dezembro de 1993 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Brian Henson; Produção: Brian Henson, Martin G. Baker; Co-Produção: Jerry Juhl; Argumento: Jerry Juhl [baseado no conto de Charles Dickens, “Um Conto de Natal”]; Canções: Paul Williams; Música: Miles Goodman; Directores de Produção: David Barron, Pete Coogan; Design de Produção: Val Strazovec; Fotografia: John Fenner [cor por Technicolor]; Montagem: Michael Jablow; Figurinos: Polly Smith; Coreografia: Pat Garrett; Direcção Artística: Alan Cassie; Efeitos Mecânicos: Larry Jameson; Coordenação de Fantoches: Fred Buchholz; Cenários: Michael Ford; Efeitos Visuais: Paul Gentry; Caracterização: Lois Burwell; Construção de Fantoches: Tim Miller; Jim Henson’s Creature Shop: John Stephenson; Efeitos Especiais: David Harris.

Elenco:

Michael Caine (Ebenezer Scrooge).
Vozes de:
Dave Goelz (O Grande Gonzo como Charles Dickens / Robert Marley / Dr. Bunsen Honeydew / Betina Cratchit / Rat / Zoot), Steve Whitmire (Cocas o Sapo como Bob Cratchit / Rizzo the Rat / Proveta / Bean Bunny / Belinda Cratchit / Beetle / Lips / Porco Cavalheiro), Jerry Nelson (Tiny Tim Cratchit / Jacob Marley / Fantasma do Natal Presente / Lew Zealand / Ma Bear / Rato / Mr. Applegate / Pinguim / Porco Cavalheiro / Pops), Frank Oz (Miss Piggy como Emily Cratchit / Urso Fozzie como Fozziewig / Águia Sam como Mestre-escola / Animal / George o contínuo / Cavalo e Cocheiro / Vendedor de Vegetais), David Rudman (Rato / Peter Cratchit / Old Joe / Cozinheiro Sueco), Louise Gold (Mrs. Dilber / Aranha), Mike Quinn (Porco Cavalheiro / Coveiro), Don Austen (Fantasma do Natal Presente (bonecreiro) / Fantasma do Natal Por Vir (bonecreiro)), Karen Prell (Ratinha Filha / Fantasma do Natal Passado (bonecreira)), Robert Tygner (Fantasma do Natal Por Vir (bonecreiro) / Fantasma do Natal Passado (bonecreiro) / Perú), Jessica Fox (Fantasma do Natal Passado), William Todd Jones (Fantasma do Natal Passado (bonecreiro)).
E com:
Steven Mackintosh (Fred, Sobrinho de Scrooge), Meredith Braun (Belle), Robin Weaver (Clara), Raymond Coulthard (Jovem Scrooge), Russell Martin (Jovem Scrooge), Theo Sanders (Jovem Scrooge), Kristopher Milnes (Jovem Scrooge), Edward Sanders (Jovem Scrooge), Anthony Hamblin (Rapaz), Fergus Brazier (Rapaz), David Shaw Parker (voz de Old Joe).

Anúncios