Etiquetas

, , , , , , , , , ,

Gentlemen Prefer BlondesSinopse:

Lorelei (Marilyn Monroe) e Dorothy (Jane Russell) são duas cantoras e bailarinas de cabaret, mas com atitudes muito diferentes. Enquanto Lorelei procura pretendentes que a mimem com jóias caras, Dorothy segue sempre o seu coração no que diz respeito a relações amorosas. Noiva do ingénuo milionário Gus Esmond Jr. (Tommy Noonan), Lorelei viaja com a amiga Dorothy num cruzeiro até Paris, onde deve desposar Gus. Só que o pai de Gus contrata um detective para documentar o comportamento de Loreley, e este (Elliott Reid) acaba por se apaixonar por Dorothy, enquanto tenta espiar a sedução de Loreley ao idoso Francis ‘Piggy’ Beekman (Charles Coburn).

Análise:

Pensado como um filme de grande entretenimento, a Fox usou um realizador de créditos firmados, Howard Hawks (um dos mais consagrados realizadores da idade de ouro de Hollywood, e que sempre se dividiu por uma enorme variedade de géneros: comédia, film noir, musical, western, etc.), numa grande produção, onde da coreografia à música, passando pelos cenários e figurinos, tudo é exemplo de grandiosidade e exuberância.

O filme baseia-se no musical homónimo da Broadway, de 1949, com libretto de Joseph Fields e Anita Loos, com letras de Leo Robin e música de Jule Styne, o qual, por sua vez, era baseado no livro de Anita Loos, editado em 1925. O musical tinha como protagonista Carol Channing, e segundo consta foi visto inúmeras vezes por Marilyn Monroe, para se preparar para o papel. Para o filme foram ainda acrescentadas canções de Hoagy Carmichael e Harold Adamson.

“Os Homens Preferem as Loiras” começou por ser planeado como um veículo para Betty Grable, mas dado o recente (e inesperado) sucesso de “Niagara”, no mesmo ano, Grable foi imediatamente substituída pela nova atracção da Fox, Marilyn Monroe, que era inclusivamente bem mais barata. Monroe descreveria mais tarde o processo como difícil. Não tendo ainda o estatuto que se seguiria, era vista como actriz de segunda categoria (a dado momento considerou-se mesmo substituir a sua voz). Desprezada pelos seus pares e equipa de filmagens, o próprio realizador ignorava as suas sugestões e apenas Jane Russell, a co-protagonista do filme, se revelou sua amiga, ajudando-a em cada momento do filme. Embora o nome de Monroe surgisse em segundo lugar (e muito mais mal paga que Russell), como a própria gostava de lembrar, era era a loira do título.

Sendo uma comédia romântica musical, o filme é desenhado para evidenciar as presenças do duo feminino. Marilyn Monroe e Jane Russell (ou Lorelei e Dorothy), uma loura e outra morena, são ambas apreciadas pelos seus dotes físicos, mas completamente diferentes em comportamento. Lorelei é assumidamente uma caça-maridos, procurando milionários que a possam presentear com jóias caras. Usa a sua sexualidade para ter os homens aos seus pés, especialmente os ingénuos e socialmente ineptos como Gus Esmond Jr. (Tommy Noonan). Já Dorothy é acusada pela amiga por deixar que o coração decida por si, acabando sempre com homens pobres.

Com uma viagem num cruzeiro em perspectiva, as duas amigas procuram apenas divertir-se enquanto viajam para Paris. Tal não impede Lorelei de continuar as suas conquistas, nomeadamente o idoso Francis ‘Piggy’ Beekman (Charles Coburn), de quem ela quer uma tiara de diamantes. Só que no mesmo cruzeiro, como objectivo de a espiar, viaja o detective privado Ernie Malone (Elliott Reid), que no processo acaba por se apaixonar por Dorothy.

Parte musical, parte comédia, “Os Homens Preferem as Loiras” tem um conjunto de momentos hilariantes (onde se destaca Marilyn Monroe presa numa escotilha, ou os seus diálogos com o veterano Charles Coburn e com o imberbe George Winslow), e claro, vários momentos musicais. Nestes, há espaço para Russell e Monroe brilharem, tanto em separado, como em duo. Mas aquilo que mais torna o filme memorável são as canções de Monroe, “Two Little Girls from Little Rock” (dueto com Jane Russell), “When Love Goes Wrong”, “Bye Bye Baby” e principalmente o popular “Diamonds Are a Girl’s Best Friend”. Com um guarda-roupa inesquecível, Monroe domina completamente o filme, com uma interpretação geralmente subvalorizada.

Se bem que o filme ajude à sua reputação de loira pateta, um olhar atento mostra que a Lorelei de Marilyn Monroe não em nada de burra. Antes, Lorelei caça homens fazendo-se burra porque, como a própria diz, “os homens preferem as mulheres assim”. Tal deixa a questão, quem é verdadeiramente burro no filme? E não é preciso muito para percebermos como todos os homens do filme são manipuláveis. Todos menos Ernie Malone (Elliott Reid), o tal que prefere a morena Dorothy, numa excelente prestação de Jane Russell (infelizmente ofuscada por Marilyn Monroe), sempre de frase mordaz na ponta da língua.

“Os Homens Preferem as Loiras” foi um estrondoso sucesso, ajudando a firmar o nome de Marilyn Monroe como a sedutora e ingénua loira, capaz de ter aos seus pés todos os homens do mundo. Tal sucesso levou a Fox a tentar a repetição do par Russell-Monroe, que por uma razão ou por outra nunca veio a acontecer, apesar de as duas actrizes se terem tornado boas amigas.

O mesmo livro de Anita Loos havia já sido adaptado ao cinema em 1928, numa realização de Malcolm St. Clair, com o mesmo título e com Ruth Taylor e Alice White nos principais papéis. O próprio livro teria uma sequela “But Gentlemen Marry Brunettes”, editado em 1927. Esta sequela seria também adaptada ao cinema, pela United Artists, como “Os Homens Preferem as Morenas” (But Gentlemen Marry Brunettes, 1955), com realização de Richard Sale, e onde Jane Russell e Jeanne Crain desempenharam os papéis das duas filhas de Dorothy.

Produção:

Título original: Gentlemen Prefer Blondes; Produção: Twentieth Century-Fox Film Corporation; País: EUA; Ano: 1953; Duração: 87 minutos; Distribuição: Twentieth Century-Fox Film Corporation; Estreia: 1 de Julho de 1953 (EUA), 27 de Dezembro de 1954 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Howard Hawks; Produção: Sol C. Siegel; Argumento: Charles Lederer [baseado no musical homónimo, escrito por Joseph Fields e Anita Loos]; Música: Leo Robin, Jule Styne, Leigh Harline [não creditado], Lionel Newman [não creditado], Hal Schaefer [não creditado], Herbert W. Spencer [não creditado]; Canções Adicionais: Hoagy Carmichael, Harold Adamson; Coreografia: Jack Cole; Direcção Musical: Lionel Newman; Fotografia: Harry J. Wild [cor por Technicolor]; Direcção Artística: Lyle R. Wheeler, Joseph C. Wright; Efeitos Especiais: Ray Kellogg; Cenários: Claude E. Carpenter; Montagem: Hugh S. Fowler; Figurinos: Travilla; Orquestração: Herbert W. Spencer, Earle Hagen, Bernard Mayers; Caracterização: Ben Nye, Allan Snyder [não creditado].

Elenco:

Jane Russell (Dorothy Shaw), Marilyn Monroe (Lorelei Lee), Charles Coburn (Sir Francis ‘Piggy’ Beekman), Elliott Reid (Ernie Malone), Tommy Noonan (Gus Esmond Jr.), George Winslow (Henry Spofford III), Marcel Dalio (Juiz), Taylor Holmes (Mr. Esmond Sr.), Norma Varden (Lady Beekman), Howard Wendell (Watson), Steven Geray (Gerente do Hotel).

Anúncios