Etiquetas

, , , , , , , ,

Moonlight SonataApós mais um dos seus recitais de piano, Ignacy Jan Paderewski vê seguir-se ao aplauso o agradecimento efusivo de um jovem casal, que lhe pede como encore a Sonata ao Luar de Beethoven. Paderewski acede, e mais tarde os seus amigos perguntam-lhe porque tocou aquela peça, que raramente surge como encore. Paderewski explica então como os conheceu um dia, antes de casarem, quando o seu avião teve de aterrar de emergência num campo na Suécia, e como essa peça tem estado há tanto tempo ligada à história da família.

Análise:

“Sonata ao Luar” é um filme invulgar, no sentido em que é simplesmente um veículo para vermos as interpretações ao piano do grande pianista polaco do início do século XX, Ignacy Jan Paderewski. Célebre concertista e professor de piano, Paderewski dividiu a sua carreira musical com a política, chegando a ser primeiro-ministro em 1919, presente nas conferências de paz após a Primeira Guerra Mundial.

O filme de Lothar Mendes surge numa altura em que o pianista já deixara os palcos, e tenta por isso mostrá-lo a um público mais vasto, que de outra forma não o conheceria. Por essa razão o filme começa com a execução de três peças, numa sala de concertos, onde o realizador se preocupa em filmar (de múltiplos ângulos) a execução de Paderewski e a reacção do seu público. São cerca de 20 minutos sem uma palavra, nos quais ouvimos a Grande Polonaise de Chopin, a segunda Rapsódia Húngara de Liszt, e a Sonata ao Luar de Beethoven. A ligação emocional vem apenas da reacção dos presentes, principalmente do casal Eric Molander (Charles Farrell) e Ingrid Hansen (Barbara Greene) que vamos destacando do público geral, e no final, perante o sorriso da sua pequena filha, pedem a Sonata ao Luar como encore ao pianista.

Esse encore é o tema do diálogo seguinte, em que Paderewski conta a alguns amigos como conheceu o casal numa paragem forçada na Suécia, alguns anos antes. Todo o restante filme é um longo flashback, em que vemos Paderewski e os seus companheiros de voo a aterrarem de emergência numa propriedade rural, sendo hospedados pela baronesa Lindenborg (Marie Tempest). Enquanto isso Eric tenta conquistar a neta da baronesa, Ingrid. Só que a chegada dos convidados vem perturbar a circunstância, principalmente quando Ingrid se deixa cativar pelas histórias de Mario de la Costa (Eric Portman).

Contra a vontade da avó, Ingrid está disposta a acompanhar o aventureirismo de Mario, e será novamente a música de Paderewski, a trazer o desenlace feliz ao apaixonado Eric. Isto depois de sabermos que a própria Ingrid é fruto de um amor, nascido quando os seus pais se conheceram num comboio para Estocolmo, para assistirem a um concerto de Paderewski muitos anos antes, tendo-se apaixonado durante a Sonata ao Luar. Essa mesma peça, em jeito de fecho de ciclo é o empurrão final para que Eric e Ingrid se reconciliem, e é por essa razão que Paderewski a toca para o casal.

Com uma premissa simples, que é afinal apenas um pretexto para vermos Paderewski em concerto, “Sonata o Luar” é um filme cândido, filmado com ternura, em longos e pacientes planos, onde as interpretações do elenco, embora simples e por vezes ingénuas, têm veracidade, que culmina na interpretação ao piano do músico, o qual (interpretando-se a si próprio) não se sente tão à vontade na sua actuação não musical.

Tendo Paderewski sido particularmente famoso em Inglaterra, o filme é uma produção inglesa, que o pretende homenagear, trazendo à tela alguns actores famosos na Grã-Bretanha do seu tempo, mas desconhecidos do grande público.

Produção:

Título original: Moonlight Sonata; Produção: Pall Mall Productions Ltd.; País: Reino Unido; Ano: 1937; Duração: 85 minutos; Distribuição: United Artists; Estreia: 11 de Fevereiro de 1937 (EUA), 10 de Maio de 1937.

Equipa técnica:

Realização: Lothar Mendes; Produção: Lothar Mendes; História: Hans Rameau; Argumento: Edward Knoblock; Diálogos Adicionais: E.M. Delafield; Director de Produção: Phil C. Samuel; Cenários: Laurence Irving; Fotografia: Jan Stallich [preto e branco]; Montagem: Philip Charlot; Música: Frederic Chopin, Franz Liszt, Ludwig van Beethoven, Ignacy Jan Paderewski.

Elenco:

Ignacy Jan Paderewski (O Próprio), Charles Farrell (Eric Molander), Marie Tempest (Baroness Lindenborg), Barbara Greene (Ingrid Hansen), Eric Portman (Mario de la Costa), W. Graham Brown (Dr. Kurt Broman), Queenie Leonard (Margit), Laurence Hanray (Mr. Bishop), Binkie Stuart (Filha de Eric e Ingrid), Bryan Powley (Nils).

Anúncios