Etiquetas

,

Tendo sido um ávido leitor de ficção científica na minha adolescência, será normal que sempre me tenha interessado pela presença deste género no cinema. Dado que o carácter fantasista deste tipo de literatura encontra espelho no encantamento e magia que atravessa o cinema, a ficção científica esteve desde sempre presente na sétima arte. Encontramo-la logo na obra de Georges Méliès, o realizador de “Le Voyage dans la Lune” (1902), e desde então nunca desapareceu, como se pode ver, quer em fases de culto, como aconteceu nos anos 50, quer depois do filão aberto por “2001, Odisseia no Espaço” (2001, A Space Odissey, 1968) de Stanley Kubrick. Continuou nos blockbusters iniciados pela série “Star Wars” de George Lucas em 1977, e encontra-se, por exemplo em filmes muito celebrados recentemente, como “Gravidade” (Gravity, 2013) de Alfonso Cuarón.

Sem intenção de explorar toda a imensidão de um género, A Janela Encantada dedica este ciclo a procurar, entre os mais famosos autores de ficção científica, as obras que foram adaptadas ao cinema. Nem sempre os melhores livros ou autores chegaram ao cinema. Nem sempre aqueles que chegaram resultaram em bons filmes. Por essa razão o ciclo é um compromisso entre a oferta disponível, a representatividade dos mais importantes autores literários, e claro, os mais interessantes filmes possíveis. Como sempre, espera-se que ele seja uma oportunidade para (re)descobrir autores e obras, algumas das quais talvez já esquecidas, mas nem por isso menos importantes para a história do cinema.

Textos adicionais
A lista de filmes

Anúncios