Etiquetas

, , , , , , ,

The CameramanSinopse:

Buster (Buster Keaton) é um fotógrafo de rua, que um dia fica fascinado pelos cameramen de cinema, que cobrem um evento público à sua frente. Ao mesmo tempo Buster começa a interessar-se por Sally (Marceline Day), uma secretária da MGM, e por ela vai vender a sua câmara fotográfica para comprar uma de filmar. Só que, desconhecendo o ofício, Buster vai ter muitas dificuldades em filmar o que quer que seja com interesse. Entretanto vai tentando cortejar Sally, sofrendo a competição de um cameraman (Harold Goodwin).

Análise:

“O Homem da Manivela” foi o primeiro filme de Buster Keaton para a Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), depois de uma carreira em que trabalhou para Joseph M. Schenck, primeiro nas famosas parcerias com Roscoe “Fatty” Arbuckle, e depois a solo na sua produtora, a Buster Keaton Productions, na qual produziu todas as suas longas-metragens até então. Problemas financeiros, causados pela má recepção de alguns dos seus filmes, levaram Joseph M. Schenck a ter que procurar financiamento exterior, e foi a MGM quem tentou relaçar a carreira de Keaton, mas muito à custa da sua independência criativa.

Realizado por Edward Sedgwick, o filme é mais uma homenagem de Keaton ao cinema, em especial aos repórteres de imagem, que naqueles primeiros anos buscavam, com grande sacrifício, e meios técnicos muito rudimentares, as imagens que ilustrariam as newsreels, pequenos documentários noticiosos que eram exibidos nas salas de cinema, a preceder os filmes. O seu personagem (aqui simplesmente chamado Buster) é um pretendente a repórter fotográfico, sem qualquer habilidade para o trabalho, e ainda maior desconhecimento sobre o que é uma câmara de filmar.

Mas graças à sua tenacidade e desejo de conquistar Sally (Marceline Day), uma secretária da MGM, Buster não vai desistir, procurando filmar evento após evento, até finalmente (e quase inadvertidamente) conseguir uma reportagem digna de nota. Pelo meio ficam os encontros com Sally, e a competição do pretendente desta (Harold Goodwin), uma divertida visita a uma piscina, e a presença numa festa na Chinatown que se transforma numa caótica batalha campal.

Num repetido número de peripécias que vão de corridas pelas ruas, boleias sobre a roda de um autocarro, ao salvamento triunfante da sua amada no mar, passando por toda a sequência de Chinatown (aqui tendo um pequeno macaco por companheiro) Buster volta a exibir a sua destreza física com efeito cómico, embora longe dos momentos inesquecíveis dos seus melhores filmes.

“O Homem da Manivela” foi um sucesso de bilheteira, e é, ainda assim, considerado o canto do cisne de Keaton, que depois veria o seu controlo criativo ser aniquilado pela MGM, naquilo que ele consideraria mais tarde a pior decisão da sua carreira.

Produção:

Título original: The Cameraman; Produção: Buster Keaton Productions, Edward Sedgwick Productions, Metro-Goldwyn-Mayer; País: EUA; Ano: 1928; Duração: 75 minutos; Distribuição: Metro-Goldwyn-Mayer (MGM); Estreia: 16 de Setembro de 1928 (EUA), 31 de Dezembro de 1929 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Edward Sedgwick, Buster Keaton [não creditado]; Produção: Buster Keaton [não creditado], Lawrence Weingarten [não creditado]; História: Clyde Bruckman, Lew Lipton, Byron Morgan [não creditado]; Argumento: Al Boasberg [não creditado]; Intertítulos: Joseph Farnham; Fotografia: Elgin Lessley, Reggie Lanning [preto e branco]; Cenários: Fred Gabourie; Montagem: Hugh Wynn, Basil Wrangell [não creditado]; Figurinos: David Cox.

Elenco:

Buster Keaton (Buster), Marceline Day (Sally), Harold Goodwin (Stagg), Sidney Bracey (Editor), Harry Gribbon (Polícia).

Anúncios