Etiquetas

, , , , , , , , ,

The Haunted PalaceSinopse:

Charles Dexter Ward (Vincent Price) chega com a esposa à aldeia de Arkham, para tomar posse do palácio da sua família. Só que esse palácio está desabitado há cento e dez anos, quando o seu proprietário, Joseph Curwen, foi queimado vivo, acusado de feitiçaria. Ao chegar Charles Ward depara com a animosidade dos locais, pois o seu rosto é igual ao de Curwen, o qual jurou no momento da morte que um dia voltaria para se vingar. Embora Charles Ward e a esposa Ann (Debra Paget) se riam dessas superstições, cedo começam a notar um estranho efeito do palácio sobre Charles.

Análise:

Embora considerado parte da série de Roger Corman para a AIP baseada em obras de Edgar Allan Poe (o sexto dessa série), “The Haunted Palace” é de facto baseado num outro autor norte-americano, especialista em contos fantásticos e macabros, HP Lovecraft. O argumento de Charles Beaumont baseia-se no conto “The Case of Charles Dexter Ward”, mas a AIP queria forçosamente ligar o filme à série Poe, tendo Corman adicionado a leitura de um poema de Poe por Price, pelo que o nome do autor surge em relevo nos créditos iniciais.

Agora com um modelo já definido depois do sucesso dos filmes anteriores, Corman filma uma história que é quase um repetir de ideias que podemos ver em, por exemplo, “O Filho de Frankenstein” (Son of Frankenstein, 1939) de Rowland V. Lee, e tantas outras vezes imitadas. O enredo gira assim em torno do regresso do filho pródigo (neste caso tetraneto) à casa que tinha tornado o seu antecessor infame para, embora inicialmente não acreditando nas histórias, se deixar manipular por um passado que o controla. Não falta a aldeia inóspita que o quer afugentar, a mansão na colina, rodeada de uma tenebrosa floresta permanentemente coberta de nevoeiro, ou as mortes pelo fogo, com que o filme abre e fecha.

Neste contexto, Vincent Price interpreta o maléfico Joseph Curwen, um necromante capaz de sacrificar vidas humanas para atingir os seus fins, e também Charles Dexter Ward, um pacato cidadão, que ignora o destino do seu antepassado. Movimentando-se num castelo de sabor medieval, com salas nuas, sombras ameaçadoras, passagens secretas, túneis e masmorras, Price consegue dar-nos duas interpretações distintas, com subtis mudanças de tom de voz, e de olhares, indo do dócil e inocente, ao terrífico e sádico.

Esse paralelismo com alguns filmes de Frankenstein é tanto maior quando nos salienta o papel do herói byroniano, o homem atormentado que deixa a sua arrogância levá-lo a lidar com algo que não controla e será a sua perdição. Sente-se por isso esse romantismo gótico de paisagens decadentes, glorificação do passado, e uma noite interminável, que tem tanto de físico como de simbólico na vida da aldeia amaldiçoada.

Por uma vez Corman não nos dá a ver explicitamente os seus monstros, manobrando os sustos na sombra, fora de plano, ou em imagens distorcidas. Com uma produção económica, o filme dá-nos os habituais cenários sugestivos que conseguem transportar-nos ao universo gótico, fantástico e macabro pretendido pelo realizador.

Tendo novamente Debra Paget no papel da vítima feminina, “The Haunted Palace” conta ainda com a presença de Lon Chaney Jr., o célebre Lobisomem da Universal nos anos 30 e 40. Com argumento escrito por Charles Beaumont, o filme tem diálogos adicionais de Francis Ford Coppola.

Produção:

Título original: The Haunted Palace; Produção: Alta Vista Productions / American International Pictures (AIP); Produtores Executivos: James H. Nicholson, Samuel Z. Arkoff; País: EUA; Ano: 1963; Duração: 87 minutos; Distribuição: American International Pictures (AIP); Estreia: 28 de Agosto de 1963 (EUA).

Equipa técnica:

Realização: Roger Corman; Produção: Roger Corman; Argumento: Charles Beaumont [baseado na história “The Case of Charles Dexter Ward” de HP Lovecaft e no poema de Edgar Allan Poe “The Haunted Palace”]; Música: Ronald Stein; Produtor Associado: Ronald Sinclair; Fotografia: Floyd Crosby (filmado em Panavision, cor por Pathè); Director de Produção: Jack Bohrer; Direcção Artística: Daniel Haller; Montagem: Ronald Sinclair; Cenários: Harry Reif; Figurinos: Marjorie Corso; Caracterização: Ted Coodley.

Elenco:

Vincent Price (Charles Dexter Ward / Joseph Curwen), Debra Paget (Ann Ward), Lon Chaney Jr. (Simon Orne), Frank Maxwell (Dr. Marinus Willet / Priam Willet), Leo Gordon (Edgar Weeden / Ezra Weeden), Elisha Cook Jr. (Peter Smith / Micah Smith), John Dierkes (Benjamin West / Jacob West), Milton Parsons (Jabez Hutchinson), Cathie Merchant (Hester Tillinghast), Guy Wilkerson (Gideon Leach / Mr. Leach), I. Stanford Jolley (Carmody, Coachman), Harry Ellerbe (Padre), Barboura Morris (Mrs. Weeden), Darlene Lucht (Miss Fitch), Bruno VeSota (Bruno, o empregado de bar).

Anúncios