Etiquetas

, , , , , , , , , , , , ,

Tales of TerrorSinopse:

Colecção de três histórias de terror macabro. Vincent Price interpreta na primeira o viúvo torturado pela morte da esposa muitos anos atrás, deixando que a presença desta ganhe forma no momento em que a filha o vem visitar. Na segunda Peter Lorre é um alcoólico que planeia a morte da esposa (Joyce Jameson) e do amante desta (Vincent Price), mas não antevê que será traído por um gato negro. Na terceira o senhor Valdemar (Vincent Price) é convencido a deixar-se hipnotizar no momento da morte por um oportunista (Basil Rathbone), a sua alma fica aprisionada neste mundo, com consequências trágicas.

Análise:

Continuando a sua série de adaptações de histórias de Edgar Allan Poe, Roger Corman escolheu, de uma assentada, visitar três contos diferentes: “Morella”, “The Black Cat” (este com passagens de “The Cask of Amontillado”) e “The Facts in the Case of M. Valdemar”. Com argumento do célebre autor Richard Matheson, todos eles são interpretados por Vincent Price. A segunda e terceira contam com outras duas figuras ímpares do cinema americano, Peter Lorre e Basil Rathbone, respectivamente. Quanto às presenças femininas (e seus gritos terríficos), estas ficam respectivamente a cargo de Maggie Pierce, Joyce Jameson e Debra Paget.

Com o seu carácter episódico a torná-lo um filme mais ligeiro, “A Maldita, o Gato e a Morte” não deixa de ser uma boa adição à série Corman-Poe, mantendo toda a atmosfera de mistério gótico que Corman pretendia extrair dos contos de Edgar Allan Poe.

Bastam os momentos iniciais de “Morella” para sentirmos todos os clichès do género (a mansão no meio do nada, o nevoeiro eterno, a porta que se abre sozinha, os interiores barrocos, as teias de aranha, a figura atormentada do anfitrião) guiar-nos a terreno familiar, de certo modo evocativo da anterior Casa de Usher. Tal como as outras, cedo “Morella” se revela uma história macabra, onde um cadáver preservado por amor, iniciará uma senda vingativa, no momento em que pai (Vincent Price) e filha (Maggie Pierce) se reconciliam, depois de uma vida de culpas e remorsos. A típica mansão assombrada é o local ideal para fantasmas (sejam da alma sejam sobrenaturais), reclamarem a sua presença sobre os mortais, que sob o peso da sua culpa e tormento, sabem não ter outra hipótese senão ceder ao seu fim trágico.

A segunda história destaca-se pelo seu humor, mas é um humor negro, macabro, como Peter Lorre já noutras oportunidades havia trazido ao grande ecrã. “The Black Cat” tem uma interpretação cómica de Vincent Price, desempenhando um efeminadamente patético Fortunato Lucrezi. A história é uma adaptação bastante livre, com abuso de truques de câmara e distorção de imagem para sugerir o estado de Montresor (Lorre), e um final de contornos moralistas.

Por fim, a estranha história do Sr . Valdemar é o conto mais bizarro do trio. Ela centra-se sobre o momento da morte, aqui capturado por um hipnotizador. Este é brilhante Basil Rathbone, a juntar-se assim ao universo de Corman, aqui no papel do vilão que atrai sobre si uma desgraça inevitável, quando brinca com a morte, e aquilo que poderá estar para além dela.

Embora em três contos curtos e díspares na sua atmosfera, Corman, com adaptações nem sempre muito próximas dos originais de Poe, consegue captar muito do ambiente macabro sugerido pelo autor, mantendo uma aura do romantismo própria de Poe, num design inspirado. Como sempre Vincent Price é perfeito no seu papel trágico, neste filme dando ainda voz à narração de pequenos interlúdios entre os três segmentos. A interpretação cómica de Peter Lorre é também inesquecível, num filme que tem ainda Basil Rathbone, com quem Price havia contracenado no seu primeiro filme de terror “A Torre de Londres” (Tower of London, 1939) de Rowland V. Lee.

Produção:

Título original: Tales of Terror; Produção: Alta Vista Productions; Produtores Executivos: James H. Nicholson, Samuel Z. Arkoff; País: EUA; Ano: 1962; Duração: 89 minutos; Distribuição: American International Pictures (AIP); Estreia: 4 de Julho de 1962 (EUA).

Equipa técnica:

Realização: Roger Corman; Produção: Roger Corman; Argumento: Richard Matheson [baseado em histórias de Edgar Allan Poe]; Director de Produção: Bartlett A. Carré; Música: Les Baxter; Fotografia: Floyd Crosby [filmado em Panavision, cor por Pathè]; Design de Produção: Daniel Haller; Direcção Artística: Daniel Haller; Montagem: Anthony Carras; Cenários: Harry Reif; Figurinos: Marjorie Corso; Caracterização: Lou LaCava; Efeitos Especiais: Pat Dinga.

Elenco:

Segmento “Morella”: Vincent Price (Locke), Maggie Pierce (Lenora), Leona Gage (Morella), Edmund Cobb (Cocheiro).
Segmento “The Black Cat”: Vincent Price (Fortunato Lucrezi), Peter Lorre (Montresor Herringbone), Joyce Jameson (Annabel Herringbone), Lennie Weinrib (Polícia), Wally Campo (Barman Wilkins), Alan DeWitt (Presidente da Sociedade Enóloga), John Hackett (Policeman).
Segmento “The Case of M. Valdemar”: Vincent Price (Ernest Valdemar), Basil Rathbone (Carmichael), Debra Paget (Helene), David Frankham (Dr. James), Scott Brown (Mordomo).