Etiquetas

, , , , , , , , ,

The Cook, the Thief, His Wife, and Her LoverAlbert (Michael Gambon), o bruto chefe de um bando mafioso, vai todos os dias jantar com a esposa Georgina (Helen Mirren) e o seu séquito de rufias ao restaurante francês que comprou, e que é gerido pelo chefe Richard (Richard Bohringer). Aborrecida com as maneiras de um marido que não ama e que despreza, Georgina envolve-se romanticamente com Michael (Alan Howard), outro dos frequentadores do restaurante. Entre escapadelas à casa de banho e a recantos da cozinha, os dois amantes têm sexo com a cumplicidade do cozinheiro. A descoberta da traição vai provocar uma reacção em Albert de proporções inimagináveis.

Análise:

Com “O Cozinheiro, o Ladrão, a Sua Mulher e o Amante Dela” Peter Greenaway apresenta-nos uma das suas obras mais famosas e controversas, para não dizer mesmo chocantes.

Centrando a acção num restaurante, a história consiste na repetição, dia após dia, da chegada de um grupo de convivas para jantar. Este é comandado pelo chefe de um bando mafioso, Albert Spica (Michael Gambon), que comprou o restaurante, e o vê como um divertimento seu. Nele Albert diverte-se humilhando os convidados, mostrando o seu poder, e maltratando os empregados. Centro do seu orgulho é a esposa Georgina (Helen Mirren) que Albert exibe como um objecto, sem que, na sua brutalidade, perceba o quanto a humilha.

Humilhado sente-se também o cozinheiro, Richard (Richard Bohringer), por se ver controlado por Albert, e por saber que Albert e os seus são incapazes de apreciar as iguarias de que tem tanto orgulho. Gera-se assim uma relação de cumplicidade entre Richard e Georgina, a única, numa mesa de rufias, capaz de entender a arte gastronómica do cozinheiro.

Mas se essa cumplicidade, surge como uma traição implícita a Albert, uma outra bem mais explícita acontece quando Georgina se envolve sexualmente com Michael (Alan Howard), um outro frequente cliente do restaurante. Os seus encontros acontecem na casa de banho, ou nos recantos da cozinha, e desse modo, comida e sexo surgem como motivos de traição, numa ligação entre os dois temas, que atravessa todo o filme, surgindo como fulcros da actividade humana, seja simbolica ou literalmente.

Numa história que é marcada pela ironia e a exuberância visual, sexo e gastronomia são mostrados em paralelo, como modos de expressão de uns personagens (o cozinheiro, a mulher do ladrão e o amante dela), e provas da incapacidade de outros (o ladrão e o seu séquito).

Tudo acontece num restaurante que nos dá uma sensação de um palco de teatro, pelos longos varrimentos de câmara que tornam todo o espaço um contínuo. Nele separam-se as cores: azul num exterior definido por dois camiões e um carro; verde numa cozinha com um aspecto sujo e industrializado de oficina; vermelho na sala de jantar de decorações barrocas; branco na casa de banho, minimalista. Estas cores trespassam ainda para as roupas dos personagens principais, que são vistas a mudar sempre que estes passam de um espaço ao seguinte. A citada exuberância provém ainda dos figurinos, criação de Jean-Paul Gaultier, e da música de Michael Nyman, sempre pungente e marcante.

Num crescendo de brutalidade do seu personagem, Michael Gabon marca o ritmo, que se torna desenfreado com o descobrir da traição. Essa descoberta leva a cenas ainda visualmente mais chocantes plenas de tortura, sangue, e mesmo canibalismo.

Por tudo isto o filme de Peter Greenaway, embora dotado de um humor negro sempre presente, e uma ironia por vezes surreal, é visualmente chocante e provocante. Um festim visual que não é para todos os paladares.

Produção:

Título original: The Cook, the Thief, His Wife & Her Lover; Produção: Allarts Cook Ltd. / Erato Films / Films Inc.; País: Reino Unido/França; Ano: 1989; Duração: 124 minutos; Distribuição: Palace Pictures (Reino Unido), Miramax Films (EUA); Estreia: 11 de Setembro de 1989 (Toronto Film Festival, Canadá), 13 de Outubro de 1989 (Reino Unido), 30 de Março de 1990 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Peter Greenaway; Produção: Kees Kasander; Argumento: Peter Greenaway; Música: Michael Nyman; Montagem: John Wilson; Figurinos: Jean-Paul Gaultier; Design de Produção: Ben van Os, Jan Roelfs; Fotografia: Sacha Vierny; Director de Produção: Karin Van Der Werff; Cenários: Constance de Vos; Caracterização: Sara Meerman.

Elenco:

Richard Bohringer (Richard Borst), Michael Gambon (Albert Spica), Helen Mirren (Georgina Spica), Alan Howard (Michael), Tim Roth (Mitchel), Ciarán Hinds (Cory), Gary Olsen (Spangler), Ewan Stewart (Harris), Roger Ashton-Griffiths (Turpin), Ron Cook (Mews), Liz Smith (Grace), Emer Gillespie (Patricia), Janet Henfrey (Alice), Arnie Breeveld (Eden), Tony Alleff (Troy), Paul Russell (Pup), Alex Kingston (Adele), Ian Sears (Phillipe), Willie Ross (Roy), Ian Dury (Terry Fitch), Diane Langton (May Fitch), Prudence Oliver (Corelle Fitch), Roger Lloyd-Pack (Geoff), Bob Goody (Starkie), Peter Rush (Melter).