Etiquetas

, , , , , , , ,

The Polar ExpressÉ véspera de Natal e o pequeno herói está na idade em que o mito do Pai Natal lhe parece falso. Por isso não dorme, espera por uma prova, espia a árvore, espreita a janela, e tenta ouvir os guizos do trenó. Mas entre espera e cochilo, ouve um comboio que pára à sua porta e o convida a seguir rumo ao Pólo Norte. É o comboio para aqueles que ainda acreditam ou estão em perigo de deixar de acreditar. A viagem maravilhosa, o convívio com outras crianças e histórias, e aquilo que encontra no Pólo Norte, vão fazer dele um crente para toda a vida.

 

Análise:

“Polar Express” é uma fantasia de Natal baseada no livro do autor Chris Van Allsburg. Imaginado por Robert Zemeckis (realizador e produtor) e Tom Hanks (produtor executivo e actor), é a sua terceira colaboração, depois de “Forrest Gump” (Forrest Gump, 1994) e “O Náufrago” (Cast Away, 2000), e foi filmado na técnica de Motion Capture (na qual imagens com actores reais são filmadas, para depois lhes ser sobreposta animação digital). Sendo Zemeckis e Hanks dois “bons alunos” da escola Spielberg, não espanta que o tom do filme seja de dinâmicas aventuras, vividas da perspectiva de crianças. O argumento é simples, e revolve em torno de uma viagem fantasiosa num comboio para o Pólo Norte, onde crianças em dúvida são asseguradas da mitologia natalícia, vendo em primeira mão a cidade dos brinquedos, os elfos que os constroem, o Pai Natal e o seu trenó de renas. “Ver é acreditar”, vai repetindo o revisor (o principal personagem dos muitos interpretados por Tom Hanks), que mais que conduzir o comboio, conduz a capacidade de fantasia das crianças, levando-as a acreditar nos seus sonhos. Para além da aventura de contornos infantis, o filme destaca-se pela fotografia, em que uma única noite é filmada com cores brilhantes em cenários que parecem pinturas de livros infantis. Destaca-se ainda pelas cenas de acção a alta velocidade, fazendo o comboio parecer uma montanha russa, a pensar nos parques temáticos e cinemas IMAX. Embora mal recebido pela crítica no momento da estreia, “Polar Express” tornou-se um moderno clássico de Natal, e um filme de família com muita aventura, daqueles que nos ajudam a creditar que o Pai Natal existe mesmo. Robert Zemeckis voltaria ao Motion Capture com “Beowulf” (Beowulf, 2007) e “Um Conto de Natal” (A Christmas Carol, 2009).

Produção:

Título original: The Polar Express; Produção: Castle Rock Entertainment / Shangri-La Entertainment / Playtone / ImageMovers / Golden Mean / Warner Bros. Entertainment Inc.; Produtores Executivos: Tom Hanks, Jack Rapke, Chris Van Allsburg; País: EUA; Ano: 2004. Duração: 96 minutos; Distribuição: Castle Rock Entertainment / Warner Bros. Pictures; Estreia: 21 de Outubro de 2004 (EUA), 9 de Dezembro de 2004 (Portugal).

Equipa técnica:

Realização: Robert Zemeckis; Produção: Steve Starkey, Robert Zemeckis, Gary Goetzman e William Teitler; Argumento: Robert Zemeckis e William Broyles Jr. [baseado no livro de Chris Van Allsburg]; Música: Alan Silvestri; Efeitos Especiais: Ken Ralston e Jerome Chen; Fotografia: Don Burgess e Robert Presley (Animação: Motion Capture); Direcção Artística: Rick Carter e Doug Chiang; Montagem: Jeremiah O’Driscoll e R. Orlando Duenas; Desenho de Guarda-roupa: Joanna Johnston; Coreografia: John Carrafa; Direcção de Animação: David Schaub; Cenários: Karen O’Hara.

Elenco:

Tom Hanks (Rapaz herói, Revisor, Clandestino, Pai, Scrooge, Pai Natal), Michael Jeter (Smokey / Steamer), Nona Gaye (Rapariga), Peter Scolari (Billy), Eddie Deezen (Sabichão), Leslie Zemeckis (Irmã Sarah, Mãe), Steven Tyler (Tenente Elfo / Elfo Cantor), Julene Renee (Rapariga Ruiva / Elfo), Chris Coppola (Rapaz Desdentado / Elfo), Charles Fleischer (General Elfo), Brendan King (Cozinheiro), Andy Pellick (Cozinheiro).

Anúncios