TCN Blog Awards 2014

Etiquetas

, ,

TCN Blog Awards

“A Janela Encantada” tem a honra de se associar aos TCN Blog Awards 2014, iniciativa conjunta da Take Magazine e do blogue Cinema Notebook, que anualmente distingue os melhores blogues de cinema e televisão da blogosfera portuguesa.

Coube à Janela hospedar a votação da categoria de “Melhor Rubrica”, a qual decorre entre 1 de Novembro e 25 de Dezembro.

Para votar, basta clicar na sondagem do lado direito. Não o faça, no entanto, sem conhecer todos os nomeados, devendo para isso seguir este link: Nomeados TCN para Melhor Rubrica. Quando o fizer aproveite também para conhecer as restantes nomeações, e votar nos locais indicados.

Ahhhh, e descubram para que categoria foi “A Janela Encantada” nomeada. :)

Vamo-nos Amar, 1960

Etiquetas

, , , , , , , , , ,

Let's Make LoveSinopse:
Jean-Marc Clement (Yves Montand) é um poderoso milionário, e reputado playboy, que é informado pelo seu agente de imprensa (Tony Randall), que um pequeno teatro o vai incluir como personagem de uma sátira. Intrigado, Clement vai assistir a um ensaio, e é confundido com aqueles que estão para as audições, sendo imediatamente contratado para fazer de si próprio. Ao deixar-se fascinar pela protagonista, Amanda Dell (Marilyn Monroe), Clement assume uma falsa identidade e deixa-se ficar pelo teatro. Só que, quanto mais tenta conquistar Amanda, mais percebe que ela despreza tudo o que Clement significa, e pela primeira vez tenta ser mais que aquilo que o seu dinheiro lhe compra Continuar a ler

Vertigo – A Mulher que Viveu Duas Vezes, 1958

Etiquetas

, , , , , , , , , ,

VertigoDepois de 1957 ter sido um raro ano sem estrear qualquer filme, Alfred Hitchcock voltou em 1958, de novo com a Paramount, para um filme que o próprio autor consideraria um dos seus filmes mais pessoais. Numa história de obsessão e desejo, baseada num livro dos franceses Pierre Boileau e Thomas Narcejac, Hitchcock filmou nas ruas de São Francisco aquela que é para muitos a sua obra-prima. Com uma banda sonora famosa de Bernard Herrmann, James Stewart (no seu quarto filme com Hitch) e Kim Novak foram os protagonistas, secundados por Barbara Bel Geddes e Tom Helmore. Continuar a ler

Quanto Mais Quente Melhor, 1959

Etiquetas

, , , , , , , , , , , ,

Some Like It HotSinopse:
Joe (Tony Curtis) e Jerry (Jack Lemmon) são dois músicos que ficam sem emprego quando o speakeasy em que trabalham sofre uma rusga. Como se não bastasse testemunham, sem querer, o ajuste de contas entre o dono do speakeasy, Spats Colombo (George Raft) e um delator. São por isso procurados, tendo de fugir rapidamente. Para tal conseguem emprego numa banda de mulheres, tendo de se travestir para conseguir lugar. O pior é quando se tornam imediatamente amigos de uma das músicas, a voluptuosa Sugar Cane (Marilyn Monroe). Continuar a ler

Listas – Tennessee Williams

Etiquetas

,

Tennessee Williams

Nascido em 1911, Tennessee Williams foi um dos mais importantes dramaturgos norte-americanos do século XX. A sua fama ultrapassou os palcos, quando várias das suas peças foram adaptadas ao cinema e à televisão. A sua temática lidava com tabus de natureza sexual, ajudando a questionar, chocar e provocar o cinema dos Estados Unidos, que nos anos 1950 se tentava ilbertar de um estagnado status quo temático. Realizadores de sensibilidade teatral, como Elia Kazan, Richard Brooks e Joseph L. Mankiewicz foram homens chave na transição que constava em trazer algum do realismo e frontalidade do teatro para um cinema cansado de clichés de entretenimento familiar propositadamente inocente.

Cinema:
• 1950: The Glass Menagerie (Algemas de Cristal) – Irving Rapper [peça, argumento]
• 1951: A Streetcar Named Desire (Um Eléctrico Chamado Desejo) – Elia Kazan [peça, argumento]
• 1955: The Rose Tattoo (A Rosa Tatuada) – Daniel Mann [peça, argumento]
• 1956: Baby Doll (A Voz do Desejo) – Elia Kazan [argumento original]
• 1958: Cat on a Hot Tin Roof (Gata em Telhado de Zinco Quente) – Richard Brooks [peça]
• 1959: Suddenly, Last Summer (Bruscamente no Verão Passado) – Joseph L. Mankiewicz [peça, argumento]
• 1960: The Fugitive Kind (O Homem na Pele da Serpente) – Sidney Lumet [peça, argumento]
• 1961: Summer and Smoke (Fumo de Verão) – Peter Glenville [peça]
• 1961: The Roman Spring of Mrs. Stone (A primavera em Roma de Mrs. Stone) – José Quintero [romance]
• 1962: Sweet Bird of Youth (Corações na Penumbra) – Richard Brooks [peça]
• 1962: Period of Adjustment – George Roy Hill [peça]
• 1964: The Night of the Iguana (A Noite de Iguana) – John Huston [peça]
• 1966: This Property Is Condemned (Flor à Beira do Pântano) – Sydney Pollack [peça]
• 1968: Boom (Choque) – Joseph Losey [peça]
• 1970: Last of the Mobile Hot Shots (O Parente mais Próximo) – Sidney Lumet [peça]
• 1987: The Glass Menagerie (Algemas de Cristal) – Paul Newman [peça]
• 2004: Akale – Shyamaprasad [peça]
• 2008: The Loss of a Teardrop Diamond (O Caso do Diamante Perdido) – Jodie Markell
• 2011: Inja bedoone man [Here Without Me] – Bahram Tavakoli

Telefilmes:
• 1955: A.N.T.A. Album of 1955 – Barry Shear
• 1956: Un tranvía llamado Deseo – Luis Mottura
• 1958: Glasmenagerie – Harald Braun
• 1960: Talo määrätty hävitettäväksi – Jukka Sipilä
• 1963: Lo zoo di vetro – Vittorio Cottafavi
• 1964: Glasmenagerie – Lothar Bellag
• 1965: Orpheus steigt herab – Hubert Hoelzke
• 1965: Torakkanainen – Verna Piponius, Lauri Ikonen
• 1965: Tervehdys Berthalta – Verna Piponius, Jukka Sipilä
• 1966: Outoa romantiikkaa – Jukka Sipilä
• 1966: Ten Blocks on the Camino Real – Jack Landau
• 1966: The Glass Menagerie – Michael Elliott
• 1967: Glasmenageriet – Gunnel Broström
• 1968: Hilsen fra Bertha – Jon Heggedal
• 1969: Glassmenasjeriet – Sverre Udnæs
• 1969: Die Glasmenagerie – Ludwig Cremer
• 1970: Dragon Country – Glenn Jordan
• 1972: 27 Waggons Baumwolle – Helmut Schiemann
• 1973: Lasinen eläintarha – Mirjam Himberg
• 1973: The Glass Menagerie – Anthony Harvey
• 1974: The Migrants – Tom Gries
• 1976: Cat on a Hot Tin Roof – Robert Moore
• 1981: Linje lusta – Bo Widerberg
• 1984: A Streetcar Named Desire – John Erman
• 1984: Cat on a Hot Tin Roof – Jack Hofsiss
• 1989: Sweet Bird of Youth – Nicolas Roeg
• 1990: Orpheus Descending (No Calor do Sul) – Peter Hall
• 1990: Een vreemde liefde – Edwin de Vries
• 1995: A Streetcar Named Desire (Um Eléctrico Chamado Desejo) – Glenn Jordan
• 1995: Fala Comigo Como a Chuva – Oliveira e Costa
• 2003: The Roman Spring of Mrs. Stone – Robert Allan Ackerman

Fantasia, 1940

Etiquetas

, , , , , , , , , , ,

FantasiaSinopse:
Com direcção do maestro Leopold Stokowski, a Philadelphia Orquestra interpreta peças conhecidas de compositores com Bach, Beethoven, Tchaikovsky, Mussorgsky e Schubert, entre outros. Para cada uma, a Disney apresenta, em animação, a sua interpretação por imagens, que vai desde pequenas histórias, como no caso de “O Aprendiz de Feiticeiro”, de Paul Dukas, a construções abstractas, como é o caso da Tocata e Fuga em Ré menor, de Johann Sebastian Bach. Cada peça tem a apresentação e contextualização do crítico de música Deems Taylor. Continuar a ler

Segundo aniversário

Etiquetas

Alfred Hitchcock

Completam-se hoje dois anos desde que iniciei a publicação de textos neste blog. São já 13 ciclos, 343 filmes. Passou num instante.

Tenho-me mantido fiel ao princípio que o originou: usá-lo como um bloco de notas sobre os filmes que vou vendo, e servir-me dele para disciplinar a minha agenda, vendo assim aqueles filmes que ficavam sempre para o dia seguinte.

Desde que o iniciei, o cinema, as conversas sobre cinema, e as pessoas que chegaram até mim por conversar de cinema, estão cada vez mais presentes, e isso é para mim um enriquecimento importante. Obrigado a todos os que me aturam.

Mas chega de palavras, que daqui a pouco há mais um filme a acrescentar à lista. E como é dia de aniversário, vai um filme infantil, pois claro!

O Príncipe e a Corista, 1957

Etiquetas

, , , , , , , ,

The Prince and the ShowgirlSinopse:
Quando os representantes de um pequeno estado monárquico dos Balcãs vêm a Inglaterra para assistir à coração do rei George V, todo o cuidado é pouco para garantir que não haja incidentes diplomáticos. O embaixador Northbrook (Richard Wattis) é encarregue de zelar para que nada falte ao Grão-duque e Príncipe Regente do pequeno reino (Laurence Olivier), bem como ao seu filho rei Nicolas (Jeremy Spenser), ou à sua sogra e rainha-mãe (Sybil Thorndike). Só que o que o principal pedido do Regente é que lhe tragam uma actriz de teatro de cabaret, Elsie (Marilyn Monroe), com quem quer passar a noite. Pouco convencida pelo Regente, Elsie vai manobrá-lo, acabando por se apaixonar por ele. Continuar a ler

O Falso Culpado, 1956

Etiquetas

, , , , , , , , , ,

The Wrong ManVoltando a estrear dois filmes num mesmo ano (algo que já fizera em 1954 e 1955), Alfred Hitchcock mostrava-se em grande forma, com mais um filme muito elogiado pela crítica. “O Falso Culpado” foi o último filme de Hitchcock para a Warner Bros., distribuidora com quem estava desde 1948, altura em que deixou a Paramount Pictures para filmar dois filmes com a sua Transatlantic Pictures. Partindo de uma história verídica, Hitchcock compôs um filme que é uma viagem quase documental sobre um homem acusado de um crime que não cometeu. No principal papel estava Henry Fonda, ao lado de Vera Miles e Anthony Quayle. Continuar a ler

Paragem de Autocarro, 1956

Etiquetas

, , , , , , , , , ,

Bus StopSinopse:
Beauregard Decker (Don Murray) é um extrovertido e ingénuo cowboy, que sai pela primeira vez do seu rancho em Montana, para ir a Phoenix com o seu amigo Virgil (Arthur O’Connell) competir no rodeo local. Ao chegar, Beau enamora-se da cantora de saloon, Chérie (Marilyn Monroe), com a qual decide imediatamente casar. Mesmo que Chérie não tenha a mesma intenção e que Virgil o advirta para o facto de que ela não é uma mulher do tipo que se esperaria para esposa, Beau é surdo a tudo e todos. Na sua teimosia arrasta Chérie atrás de si, praticamente raptando-a de volta a Montana, sem que esta perceba o que está a acontecer. Continuar a ler

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 62 outros seguidores